Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte

CRONICA E ARTE  CNPJ nº 21.896.431/0001-58 NIRE: 35-8-1391912-5 email cronicaearte@cronicaearte.com Rua São João 869,  14882-010 Jaboticabal SP
A EPIDEMIA E A SERIEDADE NO BRASIL Jaboticabal, 13 de dezembro de 2020 O ministro da saúde General Eduardo Pasuelo, foi intimado pelo Ministro do STF, Ricardo Lewandowski, a esclarecer em 48 horas, qual o cronograma do programa de vacinação contra covid-19, informando seu início, as fases do programa e o término em que ocorreria o referido programa de vacinação. A decisão do ministro foi tomada na ação movida pela Rede Sustentabilidade para obrigar o presidente Jair Bolsonaro a assinar um protocolo de intenções, para aquisição de 46 milhões de doses da vacina coronavac, da empresa chinesa Sinovac, vacina que será produzida pelo Instituto Butantã no país. A decisão segue algumas medidas no mínimo curiosas para não cômicas.  O governo federal de Jair Bolsonaro, vem desprezando notoriamente a vacina coronavac por ter origem chinesa, esquecendo que duas outras vacinas são produzidas na China, apesar de serem de empresas europeias. Quando se fala que produto chinês não é bom, é porque o brasileiro permite a entrada de produtos chineses aqui no pais, produzidos em fabricas que produzem artigos de segunda e terceira linha, enquanto a Europa e países ricos exigem produtos chineses de primeira linha.   Na guerra da vacina, o governador de São Paulo, João Dória marcou data para início de uma vacinação feita pelo Estado de São Paulo, para o dia 25 de janeiro. O interessante é que até agora a vacina que ele diz que vai usar, que a Coronavac, não cumpriu a sua terceira fase de testes. Portanto ele marcou uma data sem saber se até dia 25 de janeiro vai existir vacina para aplicar em alguém. Onde está a ciência na qual ele se agarrava tanto? Uma campanha de vacinação só pode ter início, quando a vacina estiver pronta e aprovada. Ao marcar data como ele fez, não estaria o governador do Estado pondo dúvidas, no processo de testes da vacina. Afinal para cumprir uma data especifica não estaria ele apressando o processo de certificação da vacina e colocando em risco, a segurança do medicamento. Marcar uma data com a vacina em produção e testes, não é nada cientifico. Agora no meio desta briga das vacinas entra em campo o ministro Ricardo Lewandowski com um prazo de 48 horas para que o Ministério da Saúde informe uma data para o início de vacinação, sendo que nem vacina existe pronta, para aplicação no Brasil. Será que o Ministro Ricardo Lewandowisk não se atentou que as vacinas que estão prontas, estão sendo aplicadas em seus países de origem primeiramente.  Afinal de contas isso aqui é um país sério?  Este é o único país do mundo que criou uma briga inútil por causa da epidemia? Briga na qual já se manifestaram, até mesmo os presidentes da câmara dos deputados e do Senado Federal, que como Bolsonaro e Dória nem médicos são.  Ao invés de brigarem porque não vão trabalhar cada um dentro do mandato que lhes foi conferido, com prudência, para não criar decisões inúteis, falas inúteis, como esta de exigir uma data quando nem vacina para o Brasil existe ainda.  O vírus está aí e nunca mais vai embora, não se iluda você leitor, não tem vacina ou remédio que mesmo sendo aprovada como determina a ciência e a legislação sanitária, vai destruir ou acabar com o vírus. Agora não adianta pressa, a economia já foi para o brejo com governos amedrontando a população além da conta. Agora é necessário   criar uma vacina e remédios que possam ser aplicados com segurança e não às pressas, só porque com o #fiquemcasa, os governos pararam de arrecadar e não terão como pagar remédios, hospitais e etc. Se amedrontou tanto parte da população que ninguém mais tem coragem de sair de casa, nem para trabalhos essenciais.  Até quando seremos um pais, onde governos e mais governos de direita, esquerda e centro, inventam partidos apenas para eleição, políticos que não sabem o mínimo de política e querem governar, governadores que querem ser presidentes, deputados que quem ser prefeitos ou ministros e até ministros de tribunais que ao invés de julgarem processos, brincam de fazer palestras e legislar? Em última análise, em um pais onde inúmeras autoridades, municipais, estaduais e do judiciário, confundem boleto de agua e energia elétrica, que só provam o consumo e pagamento de agua e luz respectivamente, com comprovante de residência, será que podemos esperar muita coisa? Para um pais que esquece doenças como Zica Virus, tuberculose, sífilis, para um pais que brinca em passar alunos, sem conhecimento algum, para um país que nao tem saneamento basico decente, acho que estamos esperando demais, em um momento de pandemia. 
fotos: facebook do autor  dominio público e EBC
Mentore Conti Mtb 0080415 SP
Para ler em Smartphones gire seu aparelho na horizontal
Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte