Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte

CRONICA E ARTE  CNPJ nº 21.896.431/0001-58 NIRE: 35-8-1391912-5 email cronicaearte@cronicaearte.com Rua São João, 869,  14882-010, Bairro Aparecida Jaboticabal SP
culinária
MARMELADA BRANCA DE ODIVELAS Introdução por Mentore Conti Mtb 0080415 SP // foto internet Jaboticabal, 30 de agosto de 2021 A marmelada branca de Odivelas tem origem no Mosteiro que está na cidade com o mesmo nome, em Portugal. A cidade de Odivelas fica a 12 km de Lisboa e o mosteiro foi fundado pelo rei Dom Dinis (1261- 1325), o rei trovador, no século XIII para ser mais exato em 27 de fevereiro de 1295 e, teria sido construído por Dom Dinis em pagamento de uma promessa a São Luís.  E é com essa receita que o site Crônica e Arte vai dar preferência para publicar receitas de culinária ou realizar matérias de Turismo e cultura, diminuindo assim o espaço para a crônica política, devido radicalismo nos dias de hoje. O site Crônica e Arte não compactua com nenhum tipo de radicalismo e vai procurar, através de vários tipos de matérias como esta, colaborar com a formação da Cidadania no país, trazendo sempre que possível, algo mais.  A cultura e as tradições são tão importantes quanto qualquer outra questão para formação de um povo. A receita: Marmelada branca de Odivelas Região. Lisboa e Vale do Tejo. Ingredientes Marmelos Açúcar Água com sumo de limão (350 g de marmelos 700 g de açúcar 1 limão, 100 ml Água) Modo de preparo  As quantidades de polpa utilizadas para cada quilograma da marmelada produto acabado não poderão ser inferiores a 350 g de marmelos. Descasque do marmelo retirando além da casca, o caroço e as sementes, ficando apenas a polpa do marmelo sem defeitos. O cozimento da polpa do marmelo é feito num tacho com água, em fogo alto. Logo que a polpa do marmelo se encontre cozida sem se desfazer, deve ser triturada, com uma colher no tacho) até ficar uma massa homogênea. O Marmelo, o açúcar e a água (com limão) deve ferver por cerca de 1h15 (até dar o ponto); Depois coloque o doce em pequenas tigelas ou formas, para estabilizar durante um dia, no mínimo, sendo depois desenformada para um papel vegetal e novamente se deixa estabilizar durante duas horas, no mínimo. Só então depois disto é cortada através do molde respetivo, para o formato pretendido. Após a fase do corte, se coloca o doce para secar, ao ar livre, em ambiente seco, no mínimo durante sete dias, até a marmelada criar uma crosta que permita ser manipulada com os dedos.